NO GRAU

Cicloturismo Colatina-ES x Mucuri-BA por Lau (Foguinho)

….

1º Dia Quilometragem: 130km

Trajeto:

  • Colatina-ES,
  • Boninsenha,
  • Lagoa do Batista,
  • Humaitá,
  • Lagoa Nova,
  • Linhares-ES,
  • Pontal do Ipiranga.

            No dia 27/12/2011 sai de casa às 05:00 horas, recebi as últimas instruções do Stanley e do Herry na praça de taxi. O Hery queria me acompanhar até Linhares – ES, porém por motivo de trabalho o mesmo não pôde ir e eu segui viagem.             Depois de ter passado o trevo de Marilândia – ES, tive uma surpresa, Jader Galon com sua pinarello me alcançou e fomos junto até próximo a Humaitá, sendo que de lá ele voltou. Parei em Humaitá para passar protetor solar, onde tive uma visão de louco: uma Parati com uma bike no teto se aproximando. Era o Hery que deixou o carro ali e me acompanhou de bike até a Lagoa Nova – Linhares – ES. Nos hidratamos, sendo que o Hery voltou para Colatina – ES e eu segui para Linhares onde almocei.             Passei em alguns clientes e amigos e segui para Pontal do Ipiranga (litoral linharense). Trecho pesado, muito vento contra e para piorar, quando peguei a estrada de chão, muita areia fofa, dificultando o pedal e ainda um sol de pocar. Mas venci o 1º dia, chegando em Pontal do Ipiranga. Onde algumas pessoas que me viram pela rodovia, me paravam para saber de onde eu vinha e pra onde vou. Enfim, 130km, sendo 104km de asfalto e 26km de chão. Pernoitei na Pousada Paraíso do Sr Manoel.

...

2º Dia –  Quilometragem: 92km

Trajeto:

  • Barra Seca,
  • Farol de Suçuraca,
  • Urussuquara,
  • Terminal Norte Capixaba (TNC),
  • Barra Nova,
  • Pria do Oitizeiro,
  • Praia do Bosque,
  • Praia de Guriri,
  • Conceição da Barra.

            Novamente as 05:00 horas peguei a estrada, passando por praias lindas como Barra Seca, Urussuquara e Barra Nova (São Mateus). Muitas instalações da Petrobrás, como poços de petróleo e usinas. Chegando no rio de Barra Nova, tive que pegar uma embarcação, foi rápido, um morador ribeirinha me atravessou. Seguir para Guriri, onde encontrei com amigos e clientes. Depois do almoço e de um bom descanso, pedalei rumo a Conceição da Barra, estradinha beira mar, muito vento contra, areia e o sol castigando.             Chegando no Rio Cricaré não encontrei embarcação para travessia. Nas casas ribeirinhas os pescadores estavam em alto mar, assim tive que pedalar 2km pela areia da praia até chegar no rio que do outro lado avistava o porto, comecei a balançar a camisa e nada, ninguém me via, após 2h:30m de espera, eis que surge um pescador e me atravessa.             Meus planos era dormir na Vila de Ituanas, como já era quase 17:00 hs, decidi assim pernoitar na casa da Tia Arlete, que mora em Santana, bairro próximo ao trevo que entra para Vila de Itaunas. Tomei muita água de côco e jantei um maçarão maravilhoso que a Titia preparou pra mim. Obrigado Tia. Finalizando o 2º dia com 222 km total.

3º dia –  Quilometragem: 79km

Trajeto:

  • Vila de Itaunas – ES,
  • Riacho Doce (Divisa ES com BA),
  • Praia dos Dois – BA,
  • Praia da Cacimba – BA,
  • Costa Dourada – BA,
  • Praia do Sossego – BA,
  • Praia de Jesuel – BA,
  • Praia dos Coqueiros – BA,
  • Mucuri – BA.

            Novamente as 05:00 horas parti pedalando sentido Vila de Itaunas, estrada batida, com muitas costelinhas. Conforme orientação do Dudu de Linhares, quando oheguei na Vila de Itaunas, procurei pelo Cidão da Casinha de Aventuras (ele organiza competição de MTB), para colher informação sobre a rota dos eucaliptos, onde o mesmo me aconselhou a seguir pela praia e não pelos eucaliptos. Após as orietações do Cidão parei em uma padaria para tomar um café e na mesma estava acontecendo um forró pé de serra em plena 07:00 horas da manhã. Eu como não sou bobo aproveitei e também cai no forró com uma turma super legal. Em seguida partir em direção a Riacho Doce e ao passar pelas Dunas presenciei um acidente envolvendo um carro e uma moto, coisa feia. Depois de alguns minutos parado no local do acidente resolvi seguir viagem. A estrada estava muito bem sinalizada no meio dos eucaliptos e por volta das 08:30 horas cheguei em Riacho Doce. Praia Linda na Divisa dos Estados do Espírito Santo e Bahia. Em visita a pousada do Celsão fui orientado, mais uma vez, a seguir viagem pela praia e não pelos eucaliptos. Depois fazer algumas fotos do local me arrisquei e voltei para a estrada dos eucaliptos e partir em sentido a Praia de Costa Dourada, onde a estrada era um verdadeiro labirinto totalmente sem sinalização e sem casas por perto para obter informações. Resolvi então voltar para a praia e seguir pela areia até Costa Dourada. Cheguei em Costa Dourada por volta das 11:00 horas, onde almocei no Restaurante da Tia Fina local onde encontrei o Colatinense Bambu o qual a saber da minha aventura patrocinou o meu almoço do dia. Após o almoço e um bom descanso partir pela areia da praia no sentido de Mucuri – BA, porém em certo trecho em virtude da maré alta e areia muito fofa percebi que a única saída era voltar pelos eucaliptos para seguir viagem. Não havendo condições de pedalar na referida areia e sem estradas ribeirinhas empurrei a bike até a Praia de Jesuel por cerca de 3 Km, onde encontrei um povoado que havia casas e trânsito de moto, sendo que obtive informações em uma peixaria. Nessa estrada, onde também havia muito eucalipto, fui surpreendido por um temporal com muito trovão e relâmpago (obrigado pela capa de chuva Hery), porém decidi não parar, pois não queria pedalar a noite e pelo fato de está no meio dos eucaliptos não havia local para buscar abrigo. Atravessando a estrada dos eucaliptos e passando por diversas fazendas fui me informando sobre como chegar a Mucuri – BA. Com medo de não conseguir chegar em as duas fazendas que passei pedi as pessoas se poderia voltar caso não encontrasse o caminho certo para poder pernoitar naquele local, sendo que ambas foram muito gentis e me acolheram dizendo que sim. No meio dos eucaliptos eu passei direto do local onde teria que fazer uma conversão a esquerda, sendo que assim cheguei em outra fazenda e ali me orientaram a pegar um atalho para não voltar os 8 Km que havia seguido erroneamente. Porém, em virtude de está chovendo muito, no referido atalho, conforme já haviam me informado, encontrei o rio o qual tive que atravessá-lo com água pela cintura. Precisando encurtar caminho encarei o desafio. Depois de atravessar o referido rio percorri um longo trecho arenoso no meio da estrada de eucalipto, muito cansativo e demorado. Ao sair do eucalipto avistei a direita a praia então seguindo pela estrada da esquerda encontrei uma casa e o rio. Ali fui me informar para saber como fazia para chegar em Mucuri – BA, sendo que um rapaz me disse que Mucuri – BA estava do outro lado do rio e eu para aliviar a pressão e o peso dei um grito mais ou menos assim: – HUHUUUU. O rapaz meio sem entender me disse: – Calma rapaz que eu vou te atravessar Cheguei na casa em Mucuri – BA exatamente as 17h50m debaixo de uma forte chuva, sendo recepcionada pela minha cunhada Olivia e meu afilhado Thiago. Estava muito feliz por ter atingido o objetivo de chegar no meu destino em 3 dias e o melhor sem dor, sem cãibra e inteiro, além de muito bem hidratado e alimentado. Passei por muitos lugares lindos e perfeitos com extrema sensação de liberdade e poder, sendo que por onde passei fui recebido por pessoas adoráveis e encantadas com a minha aventura. Foi muito bom.

Distância Total: 301 Km Tempo de Pedal: 20 horas, 07 minutos e 21 segundos Velocidade Média: 14.99 Km/h Custo da Viagem: R$ 143,00 (OBS: No segundo para o terceiro dia dormi na casa da minha tia Arlete em Conceição da Barra e no terceiro dia o meu almoço foi patrocinado pelo Colatinense Bambu).

Agradecimentos especiais: A minha esposa Otila Foguinho por me apoiar nessa primeira cicloviagem que com certeza será inesquecível e a todos que de alguma forma me ajudaram, principalmente ao presidente do No Grau Equipe de Aventura Herivelton Scardim, ao meu grande parceiro de pedal Stanley (pode deixar que da próxima eu te levo), ao Gustavo Cioreli e ao Lemão da Bike.

Para visualizar as fotos clique aqui

 

18 Comentários

  1. Sandro Zortéa Sandro Zortéa
    12 de janeiro de 2012    

    Parabens Foguinho, um dia tomo coragem e arrumo tempo para uma aventura dessas.
    Agora, usar o capacete da Otila é dose, kkkkk.

  2. 12 de janeiro de 2012    

    Foguin Muito Bacana as fotos, O presidente sabe mexer com coisa, ele é o cara. em breve vamos pedalar juntos. Abração.

  3. adailto adailto
    12 de janeiro de 2012    

    Lau, seu relato é de emocionar. Uma cicloviagem dessas é uma das 100 coisas que o kra tem que fazer antes de morrer.

  4. Caliman Caliman
    12 de janeiro de 2012    

    Bacana demais Foguinho, as fotos ficaram muito bonitas. Parabéns!!

  5. JordanaRossi JordanaRossi
    12 de janeiro de 2012    

    Parabéns as fotos ficaram lindas….
    Quando eu crescer quero fazer isso tb……..kkkkk

  6. Marina Marina
    12 de janeiro de 2012    

    Deve ter sido o máximo fazer essa cicloviagem. Algo para se guardar por toda a vida. :D Parabéns. :p

  7. Foguinho Foguinho
    12 de janeiro de 2012    

    Sem palavras… Todas as vezes que vejo as fotos, vivencio tudo outravez…
    Foi maravilhoso.

  8. 12 de janeiro de 2012    

    Algumas fotos serviriam para capa de revista, adorei.

  9. Otila Foguinho Otila Foguinho
    12 de janeiro de 2012    

    Parabéns amor…vc é muito corajoso mesmo…sou sua fã.

  10. Lubieska Lubieska
    12 de janeiro de 2012    

    Lau…. seu bicho doido… rsrsrs
    Parabéns amigo, isso que é força de vontade…
    Da próxima vamos todos juntos… de carro, claro!!! rsrsrsrs
    Bjs
    Lubieska e Wesley

  11. 12 de janeiro de 2012    

    Parabens cara! Show de cicloviagem!
    Já vi que você é do time dos psycos mesmo…

  12. Caliman Caliman
    12 de janeiro de 2012    

    Esse tipo de coisa inspira as pessoas, aliás, o No Grau está deixando algumas marcas e a principal delas a gente vê todos os dias nas ruas. Hoje mesmo eu estava pedalando com a Marina à tarde e estava reparando nos diversos “grupetos” de bikers, é um movimento que está crescendo bastante em Colatina, e podemos dizer que temos boa dose de responsabilidade nisso. E 2012 promete muito, é ano político e vai ter muita gente disposta a investir no esporte. Não que devamos tomar partido de alguém, muito pelo contrário, mas vai ter muita gente disposta a nos ouvir e vai ser a hora de falar e mostrar o quanto bom é tudo isso que fazemos. Esse vai ser nosso legado. :)

  13. Caliman Caliman
    13 de janeiro de 2012    

    Se eu for de Colatina a Marilândia já é uma cicloviagem? :D

  14. 13 de janeiro de 2012    

    Parabéns Foguinho…
    as fotos ficaram bacanas d +.
    abraço.

  15. 15 de janeiro de 2012    

    Parabéns foguim, som caras assim como você que dão o exemplo de que pedalar é sempre uma ventura não importa para onde a gente vai.
    É sempre muito bom fazer o que gosta!!!!!!
    Nó nosso caso “PEDALAR SEMPRE”!!!!!!
    PARABÉNS!!!!!!!!!

  16. 16 de janeiro de 2012    

    É turminha, acho por bem adiarmos a subida nas torres de Itapina, pois a maioria dos bikers estarão curtindo uma praia já que o sol deu o ar da graça, conversei com algumas pessoas e todos acharam melhor adiarmos para uma data em que a maioria poderia participar, mantenha-se ligado no site para maiores novidades. Abraço.

  17. Foguinho Foguinho
    17 de janeiro de 2012    

    Hery, se for adiado e vc não tiver nada pra fazer, eu topo ir, nunca fui nas torres. Ou fazer outro pedal. Qualquer coisa me ligue.

  18. 27 de março de 2018    

    Rodrigo e agente que passou por dIEGO SE PODE TER GEOMAPA IMPLANTADO NA BIK….!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Livro de Visitas

  • Caliman / 12 de julho de 2016:
    Testando livro de visitas. »

Strava – Pedala Colatina

Álbuns de Fotos

Jeritiba Rosa
Pedal de domingo em Santa Teresa - 17/05/2015
Passeio em Búzios de Bike

Parceiros

Calendário de Eventos

  • No upcoming events
AEC v1.0.4

Enquete